to top

Série | Visita ao médico

Hoje foi ao ar a primeira parte que gravei com o Dr. Celso Lopes, médico do ambulatório de vitiligo da Universidade Federal de São Paulo, sobre vitiligo. A ideia da série é tirar duvidas sobre tratamentos, a melhor forma de conviver com a doença, o que é e quais cuidados devemos ter.

Nesse video ele conta o que é vitiligo, porque os pelos ficam brancos, se tem como o corpo ficar 100% branco como o do Michael Jackson, se existe cura, se o fator emocional influencia na evolução da doença… entre outras dúvidas frequentes.

A série vai ao ar nas terceiras terças-feiras do mês e são 5 episódios.

 

Se você ainda não conhece o canal do Youtube corre lá! Se gostar, não deixe de seguir, compartilhar, comentar. Vamos combater juntos o preconceito e ajudar a esclarecer dúvidas sobre o vitiligo! MINHA SEGUNDA PELE

 

Foto: Andreza Pinheiro

Bruna Sanches

Sou editora de arte, divido meu tempo entre revistas, fotografias e trabalhos manuais. Tenho vitiligo desde o 18 anos e hoje transformei a minha pele em motivo de orgulho.

  • Marcelo Fiammetti

    Olá Bruna, sou o Marcelo Fiammetti. Tenho vitiligo desde 2009, que desencadeou depois de perder minha mãe que sofria de câncer e Alzheimer e de ser punido injustamente no trabalho. Fiz algumas sessões de uvb no rosto, mas depois meu convênio cortou o tratamento. Ouvi piadas das minhas manchas e comentários que isso não era nada, só estético. Comecei a fazer terapia e não parei mais. Ajuda muito, pois dou ansioso e estressado, o que faz com que meu vitiligo evolua. Meu alicerce é minha família é minha fé. Um abraço. Não estamos sozinhos.

    março 22, 2018 at 10:09 am Responder
  • Fatima

    Ainda não sei o que sinto de verdade… acho que ainda não dei (ou não quis dar) a real importância que isso teve pra mim! Quando mais nova sempre olhei as pessoas com dó por terem vitiligo, e falar esse nome então, até hoje tenho dificuldade… já passei por tantas coisas, tantas situações difíceis , acidentes que me deixaram marcas e nunca me lamentei por nada, acho que isso que me dá força para seguir sempre em frente e ser feliz! Pra mim ainda é tudo muito novo, fico muito feliz de ver pessoas como você ajudando o próximo a superar esse ‘trauma’ que a vida nos deu! Obrigada!!😘

    abril 24, 2018 at 12:36 am Responder
  • Marcelo Fiammetti

    Quando fui diagnosticado com vitiligo e minhas manchas no rosto se destacavam notei que na rua e no Metrô as pessoas me olhavam como se eu tivesse hanseníase. Então escrevi o seguinte:
    Não sou santo mas também não sou vilão,
    Eu tenho vitiligo mas não sou aberração,
    Isso é preconceito, é discriminação,
    Então me abrace, cumprimente, pegue na minha mão,
    Eu continuo ser humano, continuo cidadão.

    abril 24, 2018 at 1:06 pm Responder

Deixe um comentário