to top

Sobre o canal no Youtube

Em 2017 pensei: “De 2018 não passa, terei um canal no Youtube!”, e comecei a gravação…

Fecha a janela por causa do barulho, ajusta o tripé, abre as cortinas para iluminar, acorda bem cedo por causa da claridade,  grava no sofá (a luz ficou ruim), grava no quarto, arruma o cabelo, arruma a blusa, ajusta o foco 1 vez, 2 vezes, 30 vezes, compra lapela, configura o audio na câmera, fica em silêncio quando passa um carro ou um avião, aceita os passarinhos cantando ao fundo, troca de roupa, retoca o batom, tira o brinco, coloca o colchão na parede para não ter eco… UFA GRAVEI!

Hora de editar.

Descarrega no computar, abre o programa, aprende o básico de edição, tira os “és”, os “então”, a pausa da respiração (tirou demais!), o audio está baixo ou com eco, o cabelo ruim, a luz mudou no meio da gravação, o ajuste de cor ficou péssimo… SOCORRO.

Foram milhares de testes, dicas maravilhosas de amigos que trabalham com vídeo, horas esperando os vídeos exportarem e outras tantas criando o canal, preparando as imagens a abertura e a divulgação.

Falando assim parece que essa trabalheira toda rendeu vídeos para o ano todo. Que nada!!!! Até agora só tenho 4 vídeos prontos.

Foi difícil gravar sozinha, mais difícil descobrir que não tenho facilidade para falar com as câmeras e nem editar o material produzido nela. Me senti boba muitas vezes, me perguntei se estava fazendo algo certo, senti vergonha… Mas fiz. E fiz por acreditar que assim como o blog tem ajudado pessoas no processo de aceitação do vitiligo e outras doenças o Youtube pode ser um caminho para alcançar outras pessoas.

Ainda não sei como lidar com possíveis Haters e o compromisso de postar um vídeo novo nas Terças-feiras me assusta. Mas se uma coisa aprendi com o vitiligo foi enfrentar a vergonha, que me paralisou por muito tempo,  ter paciência e disciplina diante dos obstáculos.

 

Bruna Sanches

Sou editora de arte, divido meu tempo entre revistas, fotografias e trabalhos manuais. Tenho vitiligo desde o 18 anos e hoje transformei a minha pele em motivo de orgulho.

Deixe um comentário